18 de janeiro de 2016

HQ: Lúcifer

Boa noite, galera!
Hoje quero falar de um personagem especial: Lúcifer, criado no universo enorme de Sandman e que ganhou seu próprio quadrinho, tão legal que a Panini juntou todos numa edição linda linda. Vamos conhecer?



TÍTULO: Lúcifer - O Diabo à Porta
PÁGINAS: 164 páginas
EDITORA: Panini

Sinopse: Caído dos Céus, relegado a reinar no Inferno, Lúcifer Estrela da Manhã abandonou seu posto após um episódio com Morfeus dos Perpétuos, e deixou seu reino para ir morar em Los Angeles e repensar sua existência. O ex-monarca supremo do Inferno vive, ironicamente, na Cidade dos Anjos. Mas agora um pedido do Criador em pessoa deve mudar os planos de seu outrora fiel servo. Se Lúcifer aceitar o pedido, poderá ter o que quiser como recompensa. Mas tanto a tarefa quanto o prêmio pretendido não são exatamente o que parecem. Estrela da Manhã adentra um labirinto de perigos cuja saída é a maior de todas as oportunidades. Para chegar ao outro lado, um sacrifício será necessário. A única questão que resta é quem será sacrificado.

Resenha: 
“Ela consegue ver as vidas deles. O passado reto como um fio. O futuro ramificando-se num milhão de filamentos. O que eles são. O que foram e o que podem ser.”


 Lúcífer em pessoa, se cansou do inferno. Resolveu abandonar seu posto e abrir um bar em Los Angeles, onde ele pode distraidamente desprezar o céu, o inferno, e os humanos. Esse acontecimento se deu na série Sandman, escrito por Neil Gaiman, pelo selo Vertigo da DC Comics. Mas o que aconteceu com o diabo depois disso?
De acordo com a introdução escrita por Gaiman (muitas resenhas dele ainda surgirão por aqui <3), ele sugeriu “Lúcifer” a autores que procuravam personagens para dedicar quadrinhos derivados de Sandman por nada menos que 10 anos, antes que Mike Carey topasse escrever as aventuras desse diabo entediado.


“É por isso que eles caem. É em volta disso que eles se reúnem. O desejo. O furo no balde: o abismo pelo qual se esvazia a própria alma. (...) Pois nem toda a água dos oceanos encheria um balde furado.”
 
O Lúcifer de Carey é charmoso, manipulador e muito interessante. Nessa edição de capa dura que reúne as edições 1-3 de The Sandman presentes: Lúcifer  e as edições 1-4 da série Lúcifer, o nosso protagonista se envolve em três histórias diferentes, que, embora sejam conectadas, podem também serem lidas de maneira independente.
Tudo começa quando Lúcifer recebe um pedido de ajuda do Céu. Deuses antigos estão concedendo desejos aos humanos, e o paraíso deseja impedir que isso aconteça, mas sem sujar as próprias mãos. Ao longo dessa jornada, questões interessantes sobre os desejos humanos são discutidas. Vemos um Lúcifer que, embora poderoso, é limitado nas suas ações. Foi a história que eu achei mais legal, pois nos permite uma nova visão sobre o antigo senhor do inferno. É interessante vê-lo precisando de suporte no seu caminho, buscando conselhos, trocando informações, dependendo da ajuda de humanos. 


“Quando mundo e desejo tornarem-se um só... não haverá necessidade de um lugar à parte chamado inferno.”   

A segunda história é a mais confusa, mas ainda bem fascinante. Lúcifer começa a colocar em prática o item que ele exigiu como pagamento para a sua missão lá da outra história. Ele viaja até a Alemanha para encontrar o criador do tarô, um homem que catalogou e armazenou cada palavra já escrita pelos humanos na sua breve história. Lúcifer precisa que ele leia o tarô, mas as cartas tem outros planos.
A terceira história é a mais curtinha. Lúcifer é quase um coadjuvante dela, aparecendo só no fim, para responder um chamado. Uma menina consegue ver a sua amiga que se matou algumas horas mais cedo, mas de acordo com o fantasma, ela não cometeu suicídio. Essa história, embora bem menos filosófica que as outras, me deu vontade de saber mais sobre as personagens. Gostaria de ler mais e mais sobre essa pequena médium e suas avós conselheiras. 



“Viver aqui entre eles - vê-los viver, morrer, construir, destruir – não se pode deixar de pensar o quão impermanentes são as coisas neste universo. Nada é obra de um artífice. Nada é feito para durar.”

'Lúcifer – O Diabo à Porta' é um conjunto fascinante de histórias. O desenvolvimento que Carey dá a Lúcifer é tão legal, que temos vontade de ter mais e mais dele. Inspirado nesse personagem, a FOX está lançando a série ‘Lúcifer’, que estreia dia 25 de janeiro nos EUA. Tá pertinho!
E aí? Já conhecia Lúcifer, seja o do Neil Gaiman, do Carey ou mesmo o da série (o primeiro episódio vazou há alguns meses). Conta pra gente o que achou. Até a próxima! 





5 comentários :

  1. Olá, Carol!
    Achei bem interessante o enredo da história e adorei as ilustrações. Gostei de saber que irá virar série, espero que seja tão bom quanto a obra!

    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Adorei a edição! Muito top!
    Gostei muito da resenha e da história também! Me deixou muito interessada... Gosto dessas coisas de Deus, capiroto, céu, inferno e afins.
    Vlw! Gostei bastante da indicação!

    ResponderExcluir
  3. Oiii Carol, adorei essa edição!!
    Eu tinha visto já em outros lugares, mas me surpreendi bastante com a história, leria com total certeza <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Adoro HQs e achei essa muito legal. Parece ser muito boa! :)
    http://quetal-carol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Coral, não sou muito de ler HQ, mas este parece ser muito legal e a série que vai ser lançada pela Fox também!

    ResponderExcluir