10 de agosto de 2015

#42 RESENHA DE LIVRO (Condão)

Bom dia galerinha, hoje vou resenhar para vocês mais um livro de parceria, dessa vez do aguardado Condão escrito pelo nosso parceiro Giordano Mochel! 

TÍTULO: Condão
PÁGINAS: 400
AUTOR: Giordano Mochel Netto
EDITORA: Talentos da Literatura Brasileira

Sinopse: Condão - Tecnologia robótica, petabytes, Direito Eletrônico. Esses termos fazem parte do cotidiano de Edwardo, um jovem que vive em uma sociedade ultratecnológica em que o controle da informação tornou-se o meio de referência para todos. Programador virtual, ele tem uma vida estabilizada, já que suas preocupações resumem-se ao trabalho, ao relacionamento amoroso com Sílvia, biogeneticista, e à amizade antiga e franca com Jânio, professor de História Moderna e especialista na teoria do Condão. No entanto, ao presenciar, involuntariamente, o assassinato de dois jovens por drones responsáveis pela segurança pública, sua vida passa a correr risco. Robôs-homicidas? Uma possibilidade que soa impossível para um software instruído a tarefas-padrão e funções extremamente mecânicas. Pelas regiões do Brasil, Edwardo arrasta Jânio e Sílvia em uma busca incessante para desvendar o crime. Só que, quando o trio descobre que essa investigação envolve vários fatos obscuros que influenciaram o atual nível de desenvolvimento dessa sociedade, uma nova realidade se revela de forma estarrecedora.

Resenha: Tenho que começar essa resenha avisando a vocês, queridos leitores, que eu tenho medo das minhas palavras não fazerem jus a esse livro do nosso parceiro Giordano Mochel. Aqui, o autor criou uma trama muito bem pensada e (tenho que afirmar) muito bem escrita. Meus parabéns, Giordano, seu livro é espetacular!
O livro Condão é uma distopia (muito bem trabalhada) que se passa num Brasil futurístico, coisa que eu amei. Tudo começa logo após um adolescente prodígio, chamado de Jeremias, desenvolver um software que é capaz de auxiliar o sistema judiciário a trabalhar com mais justiça (okay, até ai blz!). Só que o nosso querido patriota decide aperfeiçoar esse software, criando assim uma nova Era de ordem, erradicando a corrupção, pobreza e fome no Brasil e no mundo, levando-o, com o passar dos anos, a se tornar o líder da nação. 
A aventura começa com o jovem Edwardo, um programador de sucesso, que estava aproveitando seu tempo em um velho telhado de um porto, quando presencia dois drones (no tempo atual, a segurança e quase tudo é feita por robôs) assassinarem dois jovens misteriosamente. Porém, isso não é aceito pelas regras do Condão Co, nome dado à organização que criou tais tecnologias futurísticas. Ao presenciar essa violação, Ed fica imediatamente confuso e tenta fugir, pois acredita que ele pode ser punido caso os drones o identifiquem no local. A sua fuga o levará até seu amigo Jânio, com quem ele tentará descobrir o que está acontecendo.


Sendo perseguidos, Ed e Jânio são obrigados a fugir, levando consigo a namorada de Edwardo, Sílvia, que possui uma grande parcela de culpa no que está acontecendo com eles. E é nessa fuga que os personagens acabam descobrindo que nem tudo o que pensavam sobre o líder da nação, Jeremias, e o Condão é realmente a verdade (existe muito mais por baixo dos panos kkk!).
Acho que se eu falar mais alguma coisa estragará a leitura de vocês! (tenho esperança de que após essa resenha vocês irão procurar esse livro para lerem). Afinal, há muitas revelações interessantes no livro, é muito legal acompanhar os personagens em suas descobertas sobre o universo em que vivem. O Giordano dá as explicações gradualmente ao leitor, respondendo na medida certa as dúvidas que a história levanta, sem deixar nenhuma ponta solta (aleluia!).
Tenho que falar que é justamente aí que se encontra o ponto alto desse livro: a escrita e a contextualização. Os detalhes que nos são entregues são tão completos e desenvolvidos que fica difícil não imaginar esse Brasil futurista dominado pela tecnologia e pelas máquinas, sendo o maior exportador de softwares do mundo (é muito bem pensado!).


Porém, não vá achando que a leitura de Condão é tão leve quanto a de outras distopias teens que se encontram por aí, as descrições citadas servem para posicionar muito bem o leitor, mas, em alguns momentos diminuem o ritmo da leitura, já que em várias cenas ocorrem explicações detalhadas, sem que haja muita ação dos personagens, porém isso acontece mais nos sete primeiros capítulos, depois disso é só ação até o final.
Eu adorei cada personagem criado pelo Giordano, porém me identifiquei mais com o professor de história, Jânio, o melhor amigo do protagonista. Ele tem uma preferência por objetos e hábitos “antigos”, o que em um mundo futurístico é bem legal. Também tenho que falar que eu amei as invenções criadas pelo autor nesse Brasil evoluído, eu amaria ter um computador com no mínimo um petabyte (não sabe do que estou falando? Tá, posso lhe explicar!). Um petabyte equivale a um milhão de gigabytes, então isso é tipo: Uaaau, quanto espaço! Isso é uma das muitas coisas bem pensadas pelo autor nesse livro que eu adorei.


Concluindo aqui a minha resenha, Condão é uma obra que eu ainda estou absorvendo (me deixou com uma tremenda ressaca literária, não é para menos). Se por um lado gostei muito da história e dos caminhos que a obra tomou, por outro, senti que a leitura se tornou um tanto quanto carregada pelo vocabulário exigente. Sendo assim gente, eu recomendo a leitura desse livro para aqueles fãs de ficção científica que estejam atrás de uma obra bem escrita e bem ambientada, mas que possam ler esse livro sem pressa, e de maneira compenetrada, para que as informações que a história desperta possam ser realmente bem aproveitadas.

Se você se interessou pela leitura desse livro e quiser adquirir essa edição com a caixa e os cards dos personagens, entre em contato com o Giordano Mochel por facebook, garanto que é uma leitura valiosa!!!








0 comentários :

Postar um comentário